segunda-feira, 11 de setembro de 2017

GRUPO DE TEATRO DE TUTOIA REALIZA APRESENTAÇÃO EMOCIONANTE

No último dia 8/9 o Grupo de Teatro Iawer da Paroquia Nossa Senhora da Conceição emocionou o público com a peça Maria de Nazaré.




A encenação foi realizada no largo da Igreja Matriz, e marcou o encerramento do Festejo a Nossa Senhora de Nazaré, pessoas lotaram o espaço para assistir o espetáculo que representou a passagem de Maria para a Eternidade.Ao longo da história, tanto os teólogos quanto a piedade popular se dividiram na opinião se Maria morreu de fato ou se apenas adormeceu e foi levada ao céu em corpo e alma pelos anjos. 




Maria esteve associada a Jesus a vida inteira (de fato, os teólogos a chamam “Sócia de Cristo”). Associada no corpo, fazendo uma unidade com ele. Associada na missão redentora a ponto de ser chamada “Mãe da Redenção”. Associada na morte e associada por toda a eternidade na glória. Passando pela morte, Maria tornou-se para a humanidade a “feliz porta do céu, para sempre aberta”.

Assim, Maria participa da ressurreição e glorificação de Cristo. É preciso lembrar, aqui, que somente Jesus e Maria subiram ao Céu de corpo e alma. Os santos estão lá apenas com suas almas, pois os corpos estão na terra, aguardando a ressurreição do último dia. Maria, ao contrário, foi elevada ao céu também com seu corpo já ressuscitado. É uma grande glória dela.









– Como Maria não esteve sujeita ao poder do pecado para poder ser a Mãe de Deus, também não podia ficar sob o império da morte; pois, como disse São Paulo, “o salário do pecado é a morte” (Rm 6,23). Assim, Maria não experimentou a corrupção da carne, mas foi glorificada em sua alma e seu corpo.
– A carne de Jesus e a de Maria são a mesma carne. Portanto, a carne de Maria devia ter a mesma glória que teve a de seu Filho.





Informações complementares: Canção Nova

Nenhum comentário:

Postar um comentário